ArtigosPsicologia

36 perguntas para conhecer profundamente a pessoa que você ama, de acordo com a ciência

Quando gostamos de alguém, é natural que queiramos saber muitas coisas sobre essa pessoa especial. É assim que começamos a conhecer o que gostamos e o que não gostamos no outro. Isso acontece para que possamos manter a esperança de nos sentirmos mais próximos, mais íntimos de quem nos atrai.

Na adolescência, isso acontece como uma espécie de treinamento que nos ajuda a aprender a nos relacionar. Na idade adulta é necessário saber como fazê-lo, pois muito em nossa vida depende de que sejamos hábeis em fazê-lo.

Conhecer quem amamos é, felizmente, um desafio interessante. Isso porque nos ajuda a aprofundar as relações e a sentir interesse. E o melhor disso é porque, embora acreditemos saber o que esperar de alguém, nem sempre estamos totalmente certos.

Isto não é nada negativo; aliás, mantém o interesse das pessoas em se conhecer e conviver diariamente.

A ciência de conhecer os outros

Um interessante estudo realizado pelo psicólogo social Arthur Aron e seu grupo de trabalho procurou descobrir se era possível que duas pessoas que não se conheciam pudessem se tornar “íntimas” ao fazer perguntas que os aproximassem e deixassem ver sua vulnerabilidade e semelhanças.

A conclusão é sim; entretanto, mostrar-se vulnerável através de perguntas que vão ficando mais e mais profundas é muito difícil por nos deixar expostos, mas é muito interessante.

O estudo baseia-se em fazer à outra pessoa 36 perguntas enquanto se olham nos olhos. As perguntas estão divididas em 3 grupos que vão intensificando a proximidade à medida que as pessoas se expõem mais e mais.

As 36 perguntas

Antes de saber quais são as perguntas que foram feitas durante o estudo, é importante que saiba que é uma conversa entre 2 pessoas que estão se conhecendo. É você e ele (ou ela) olhando nos olhos um do outro, expondo os segredos mais íntimos.  Por isso, saiba muito bem com quem fazer este exercício.

Agora, sim, estas são as 36 perguntas.

Primeiro grupo de perguntas

1 Suponhamos que você pudesse escolher qualquer pessoa no mundo, quem você gostaria de convidar para jantar?

2 Você gostaria de ser famoso? Em que sentido?

3 Alguma vez já treinou o que vai dizer antes de telefonar a alguém? Por quê?

4 O que é um dia perfeito para você?

5 Quando foi a última vez que cantou sozinho? E com alguém mais?

6 Se pudesse viver até os 90 anos mantendo o corpo ou a mente de quando tinha 30 anos, qual dos dois preferiria?

7 Você tem um palpite secreto sobre como vai morrer?

8 Cite três coisas que temos em comum.

9 Pelo que se sente mais grato na vida?

10 Se pudesse mudar qualquer aspecto da sua criação, qual seria?

11 Em 4 minutos, conte a história de sua vida com todos os detalhes possíveis.

12 Se pudesse acordar amanhã tendo adquirido uma qualidade ou uma habilidade, qual seria?

Segundo grupo de perguntas

13 Se uma bola de cristal pudesse dizer a verdade sobre você, sua vida, futuro ou qualquer outra coisa, o que gostaria de saber?

14 Há algo que sonha fazer há muito tempo? Por que ainda não fez?

15 Qual é a maior realização da sua vida?

16 Qual é a coisa que mais valoriza num amigo?

17 Qual é a sua lembrança mais preciosa?

18 Qual é a sua lembrança mais terrível?

19 Se soubesse que, dentro de um ano, morreria repentinamente, mudaria em algo a forma como vive agora? Por quê?

20 O que significa a amizade para você?

21 Que papel desempenham em sua vida o amor e o afeto?

22 Alternadamente, digamos algo que consideremos uma característica positiva do outro. Cada um deve mencionar um total de cinco aspectos.

23 Quão próxima e terna é a sua família? Sente que a sua infância foi mais feliz do que a da maioria?

24 Como se sente acerca da relação com a sua mãe?

Terceiro grupo de perguntas

25 Alternadamente façamos 3 declarações verdadeiras usando “nós”. Por exemplo: Nós dois estamos nesta sala sentindo…”

26 Cada um complete a frase: Gostaria de ter alguém com quem pudesse partilhar…”

27 Se vocês se tornassem amigos íntimos, diga o que seria importante que ela ou ele soubesse.

28 Diga ao seu parceiro do que gosta nele; seja muito honesto e diga coisas que possivelmente não diria a alguém que tivesse acabado de conhecer.

29 Conte ao outro um momento constrangedor de sua vida.

30 Quando foi a última vez que você chorou diante de outra pessoa? E a sós?

31 Diga ao parceiro algo que tenha gostado nele.

32 Sobre que aspecto da vida, de maneira geral, é sério demais para se brincar?

33 Se você fosse morrer esta noite sem poder se comunicar com alguém, o que lamentaria por não ter dito a esta pessoa? Por que não disse?

34 A sua casa, que contém tudo o que possui na vida, pega fogo. Depois de salvar seus entes queridos e animais de estimação, você tem tempo para uma corrida final para resgatar um objeto. Qual seria e por quê?

35 A morte de qual dos seus familiares seria mais perturbadora para você? Por quê?

36 Explique um problema pessoal e pergunte ao seu parceiro como ele lidaria com isso. Além disso, peça a ele para lhe dizer como se sente sobre o problema em questão.

A importância da comunicação e ser honesto com o outro

Vamos começar com algo importante. Para muitas pessoas é fácil estabelecer relações de amizade ou amorosas; algumas delas, infelizmente, não são muito profundas e, portanto, não têm muita projeção ao futuro. Por isso é recomendável que, antes de realizar o exercício das perguntas, a pessoa com quem o fizer seja alguém sério e com quem se veja no futuro em uma relação amorosa.

A razão é simples, vão ser reveladas coisas importantes de verdade, e de muito valor para o outro, e se abrir de forma tão profunda pode trazer algum desconforto, inclusive pode acontecer de o outro se negar a responder alguma pergunta, isso tem que ser respeitado, mas também o levará a refletir e saber se estará disposto a responder-lhe num futuro não tão distante.

Uma boa comunicação faz com que as pessoas se compreendam, coloquem-se no lugar do outro e aprendam a resolver problemas, por isso, este exercício os levará a se compenetrar mais, a saber o que o outro pensa e sente sobre algumas coisas da vida.

Você também saberá como são as relações do outro com os familiares, seus medos e experiências; e isso é bom, porque ajudará você a saber o que é prioridade para ele ou ela na vida.

Convido-o a pôr isso em prática, pois não há mal nenhum em querer saber um pouco mais da pessoa que está em sua vida.

Fonte: Família


Vida em Equilíbrio

Vida em Equilíbrio

Para viver bem, é necessário ter a saúde corporal e mental em equilíbrio. Nossa intenção é proporcionar todo o conteúdo que irá lhe ajudar a ter uma vida mais saudável.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *