Psicologia

Descubra o que o tamanho da sua pupila pode dizer sobre a sua inteligência

Já foi dito que “os olhos são a janela da alma”, mas novas pesquisas sugerem que eles também podem ser uma janela para o cérebro.

Será o tamanho da pupila é um marcador de inteligência? Conforme algumas pesquisas, parece que sim… Vamos entender:

 

Nossas pupilas respondem a mais do que apenas a luz. Elas indicam excitação, interesse ou exaustão mental. A dilatação da pupila é até usada pelo FBI para detectar fraudes. Agora, o trabalho realizado em em um laboratório no Instituto de Tecnologia da Geórgia sugere que o tamanho da pupila inicial está intimamente relacionado às diferenças individuais de inteligência.

Quanto maiores as pupilas, maior a inteligência, medida por testes de raciocínio, atenção e memória.

Na verdade, em três estudos, descobriu-se que a diferença no tamanho inicial da pupila entre as pessoas que obtiveram a pontuação mais alta nos testes cognitivos e aquelas que obtiveram a pontuação mais baixa era grande o suficiente para ser detectada a olho nu.

Os pesquisadores primeiro descobriram essa relação surpreendente enquanto estudavam as diferenças na quantidade de esforço mental que as pessoas usavam para completar tarefas de memória. Eles usaram dilatações de pupila como um indicador de esforço, técnica que o psicólogo Daniel Kahneman popularizou nas décadas de 1960 e 1970. Quando descobriram uma relação entre o tamanho inicial da pupila e a inteligência, não tínham certeza se era real ou o que significava.

Intrigados, conduziram vários estudos em grande escala nos quais recrutaram mais de 500 pessoas com idades entre 18 e 35 anos da comunidade de Atlanta.

Eles então mediram o tamanho da pupila dos participantes usando um rastreador ocular, um dispositivo que captura o reflexo da luz na pupila e na córnea usando uma câmera de alta potência e um computador. Mediram as pupilas dos participantes em repouso enquanto eles olhavam para uma tela de computador em branco por até quatro minutos. O tempo todo, o rastreador ocular estava gravando. Usando o rastreador, calcularam o tamanho médio da pupila de cada participante.

Para ficar claro, o tamanho da pupila se refere ao diâmetro da abertura circular preta no centro do olho. Pode variar de cerca de dois a oito milímetros. A pupila é circundada pela área colorida conhecida como íris, responsável por controlar o tamanho da pupila. As pupilas se contraem em resposta à luz forte, entre outras coisas, então os cientistas mantiveram o laboratório escuro para todos os participantes.

Na próxima parte do experimento, os participantes completaram uma série de testes cognitivos projetados para medir “inteligência fluida”, a capacidade de raciocinar por meio de novos problemas, “capacidade de memória de trabalho”, a capacidade de lembrar informações ao longo de um período de tempo, e ” controle da atenção ”, a habilidade de focar a atenção em meio a distrações e interferências.

Como um exemplo de teste de controle de atenção, os participantes tiveram que resistir a olhar para um asterisco em negrito piscando em um lado da tela do computador e, em vez disso, olhar rapidamente na direção oposta para identificar uma letra. A letra desapareceria dentro de instantes, então mesmo um breve movimento dos olhos em direção ao asterisco piscante poderia resultar em perdê-la. Os humanos são preparados para reagir a objetos que passam por sua visão periférica – é o que uma vez nos permitia detectar um predador ou uma presa – mas esta tarefa exigia que os participantes redirecionassem seu foco do asterisco para a letra.

Descobriram que um tamanho de pupila maior foi correlacionado com maior inteligência fluida, controle de atenção e, em menor grau, capacidade de memória operacional – indicando uma relação fascinante entre o cérebro e o olho. Curiosamente, o tamanho da pupila estava negativamente correlacionado com a idade: participantes mais velhos tendiam a ter pupilas menores e mais contraídas. Uma vez padronizado para a idade, no entanto, a relação entre o tamanho da pupila e a capacidade cognitiva permaneceu.

Mas por que o tamanho da pupila se correlaciona com a inteligência?

Para responder a essa pergunta, precisamos entender o que está acontecendo no cérebro. O tamanho da pupila está relacionado à atividade no locus coeruleus, um núcleo situado na parte superior do tronco cerebral com conexões neurais de longo alcance com o resto do cérebro.

O locus coeruleus libera norepinefrina, que funciona como neurotransmissor e hormônio no cérebro e no corpo, e regula processos como percepção, atenção, aprendizagem e memória. Também ajuda a manter uma organização saudável da atividade cerebral para que regiões distantes do cérebro possam trabalhar juntas para realizar tarefas e objetivos desafiadores.

A disfunção do locus coeruleus e a quebra resultante da atividade cerebral organizada têm sido relacionadas a várias condições, incluindo a doença de Alzheimer e o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade. Na verdade, essa organização da atividade é tão importante que o cérebro dedica a maior parte de sua energia para mantê-la, mesmo quando não estamos fazendo nada – como quando olhamos para uma tela de computador em branco por minutos a fio.

 

Uma hipótese é que pessoas que têm pupilas maiores em repouso têm maior regulação da atividade pelo locus coeruleus, o que beneficia o desempenho cognitivo e a função cerebral em repouso. Pesquisas adicionais são necessárias para explorar essa possibilidade as razões.

Fonte: Scientific American

Via Pensar Contemporâneo


Vida em Equilíbrio

Para viver bem, é necessário ter a saúde corporal e mental em equilíbrio. Nossa intenção é proporcionar todo o conteúdo que irá lhe ajudar a ter uma vida mais saudável.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *