Psicologia

Esse incrível exercício psicológico pode deixar sua vida mais leve

Nossos dias são permeados por pequenos sofrimentos quase inconscientes, que invadem nossas mentes, sugam nossas energias, derrubam a mobília de nossa harmonia interior e não acrescentam em praticamente nada. Os vilões são nossos velhos conhecidos; ansiedade, a insegurança e principalmente ele: o medo.

Convido a você, leitor (a), a caminhar comigo nesse pequeno trajeto e silenciar por um instante sua mente. É um exercício pequeno, é claro, porque é apenas um tijolo em uma grande construção rumo a uma vida mais leve e saudável emocionalmente. Porém, essa construção depende de um elemento central, que é a capacidade de aplicar esse tipo de exercício de forma constante.

Mas…

1 segundo.

Primeiro preste atenção nesse instante. Sinta seus dedos deslizarem a tela, sinta a temperatura, olhe ao redor, preste atenção na sua respiração e respire fundo três vezes. Apenas isso.

Depois.

Com a mente voltada ao momento presente, encare todas as coisas que estão te causando preocupação no momento. Olhe nos olhos dela, da preocupação. Ela mostrará a sua real face e, quando fizer, você perceberá que todo acréscimo de peso é dado pelo medo. O medo é dado pela mente e a mente pode ser frequentemente nociva ao nosso estado emocional, porque ela cria situações hipotéticas raramente favoráveis. Controlando, ou melhor, descontrolando o momento presente.

Entretanto, o maior exercício é o de despertar para ela, perceber no instante em que está sendo controlado e passa a controlar a correnteza de pensamentos nocivos.

A melhor maneira de controlarmos a situação é dando atenção ao que realmente importa; o presente. Crie a situação hipotética e elimine o medo no seu experimento de pensamento, você então perceberá que as coisas são sempre muito mais leves do que parecem ser. Retire o medo de dar errado, o medo do sofrimento, o medo da vida e você estará deixando uma grande bagagem que você carrega sem precisar.

Evidentemente isso não é uma tarefa fácil, principalmente porque é difícil mantermos nossas mentes quietas e observando. Nossos instintos, como cachorros perdidos em uma grande casa, querem correr, derrubar tudo, mas cabe a nós impor os limites aos nossos próprios vícios mentais.

Autoria: Isadora Tabordes

Cofundadora e desenvolvedora dos sites Vida em Equilíbrio e Demasiado Humano. Graduada em Filosofia pela Universidade Federal de Pelotas. Atualmente é mestranda em Filosofia Moral e Política pela mesma universidade. 

Foto: Isadora Tabordes


Vida em Equilíbrio

Vida em Equilíbrio

Para viver bem, é necessário ter a saúde corporal e mental em equilíbrio. Nossa intenção é proporcionar todo o conteúdo que irá lhe ajudar a ter uma vida mais saudável.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *