Psicologia

Saiba qual é o principal motivo que leva à traição, segundo pesquisa

Você tem o hábito de conversar com o parceiro sobre sexo?

A maioria das pessoas não, e segundo pesquisas, casais que se comunicam menos são mais propensos à infidelidade. A rede social Meu Rubi, fez uma pesquisa com alguns usuários para ver como é a comunicação que as pessoas têm com seus cônjuges.

Em pesquisas anteriores, o site descobriu que a falta de comunicação dentro do relacionamento era o principal fator tanto dos homens, quanto das mulheres, para ter traído alguma vez ou trair frequentemente. Dessa vez, ao olhar os percentuais, entendemos que a desculpa pode realmente ter fundamento, pois apenas 25% já teve ou têm conversas sobre o que gosta, o que não gosta, o que dá prazer e leva ao orgasmo com o parceiro.

Entretanto, quando questionados sobre assuntos mais íntimos, 41% das pessoas conseguem ter orgasmo com o marido/esposa/namorado, mas 87% atingem o prazer máximo com o amante.

De acordo com a pesquisa, os principais fatores excitantes de uma relação fora de casa é justamente encontrar o que não se tem dentro de casa e a adrenalina de fazer algo novo e proibido. É comum a relação com o parceiro cair na “mesmice” e os dois pararem de tentar novas posições, novos lugares, novos jeitos de se excitar. Para a terapeuta sexual, Tammy Nelson, alguns casais acabam por enfrentar a famosa “fadiga do casamento”, quando acontece a comodidade por parte de um ou dos dois. “Da mesma forma que é bom saber quais as posições e os jeitos do parceiro, é ótimo ser imprevisível. Pode ser empolgante para os dois inovar no sexo dentro do casamento”, explica.

Dentre as poucas pessoas que já tiveram uma conversa com o parceiro, nem todas tiveram sucesso. Em 26% dos casos, a outra pessoa ignorou a conversa, em 19% o outro ficou magoado e um total – baixo – de 12%, tiveram uma melhora na relação, mas após um tempo voltou ao esquecimento. Outros 10% tentaram inovar e 7% ficou mais atento.

Mas ter a conversa também não garante a melhoria, já que apenas 5% apresentou melhor performance com o parceiro. Os dados parecem irreais em um primeiro momento, mas são proporcionais aos números de traições que vemos por aí.

Está claro que se não há conversa sobre o que cada um gosta e se as pessoas não estão abertas às sugestões do parceiro, muitos podem apelar para uma relação extra, que é onde a maioria encontra o que procura.

É compreensível – até um ponto – que as pessoas tenham receio de falar ao parceiro que o jeito dele “não está dando certo”, mas por outro lado, devemos compreender e abrir a mente para o fato de que cada um tem seu jeito de chegar ao clímax – por isso também é importante o autoconhecimento – e está tudo bem conversar sobre. Mesmo que a pessoa fique magoada num primeiro momento, a sinceridade deve ser a primeira escolha para tentar melhorar a relação.

Autoria: Meu Rubi


Vida em Equilíbrio

Vida em Equilíbrio

Para viver bem, é necessário ter a saúde corporal e mental em equilíbrio. Nossa intenção é proporcionar todo o conteúdo que irá lhe ajudar a ter uma vida mais saudável.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *