Psicologia

Por que compramos coisas que não precisamos?

 Será que você é oniomaníaco(a)? Vamos descobrir.

“Este artigo visa elucidar a população do que se trata a Oniomania, bem como oferecer recursos e estratégias de enfrentamento para lidar com este distúrbio, de modo a dirimir o sofrimento e consequentemente melhorar a qualidade de vida de quem sofre deste transtorno”.

O que é Oniomania?

Oniomania é o impulso incontrolável de comprar algo que não apresenta real necessidade, onde a pessoa não dispõe de recursos financeiros ou que este supere seu orçamento para efetuar o pagamento destas dividas, dificultando ou mesmo prejudicando seus compromissos, sua qualidade de vida, bem como a de terceiros. Vale a pena salientar que, no caso em que a pessoa mesmo tendo condições financeiras mas não controla o impulso de comprar, abarrotando objetos que não sabe sequer quando (e se) vai usar, também pode sofrer de oniomania, pois a característica central do transtorno não é a condição socioeconômica e sim a dificuldade ou mesmo incapacidade de controlar este mesmo impulso.

 A oniomania ou Transtorno do comprador compulsivo tem acometido cada vez mais pessoas em todo o mundo, chamando atenção da Organização Mundial de Saúde diante das estatísticas

cada vez mais alarmantes. Acomete mais mulheres que homens, podendo ser cronico ou recorrente.

Sintomas da Oniomania:

Podemos dividir os sintomas em característicos e os de abstinência.

Como foi elucidado, observamos como sintomas característicos, “o comprar pelo prazer de comprar”, não havendo necessidade nem funcionalidade de uso do objeto, sendo muito comum a compra do mesmo de cores diversificadas ou em número excessivo, com o intuito de usá-lo posteriormente.

Quanto à sintomatologia de abstinência, podemos enumerar em casos mais brandos a irritabilidade, e em casos extremos ou patológicos, a sudorese, a dispneia e o impulso incontrolável para a compra. Neste último caso, a oniomania não se diferencia dos sintomas característicos da síndrome de abstinência de drogas como cigarro e álcool, bem como dos jogos patológicos e da nomofobia (vicio a smartphones, tablets e computadores). Sendo assim, o ato de comprar se torna distúrbio quando a pessoa tem pensamentos intrusivos que somente serão aliviados quando a pessoa efetua o ato de comprar, trazendo prejuízos econômicos, sociais e relacionais.

Transtorno Obsessivo Compulsivo e Oniomania:

A Oniomania apresenta muitas características em comum com o TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), tais como o acúmulo de objetos, as obsessões (pensamentos intrusivos), a compulsividade para aliviar a ansiedade provocada pelas obsessões, bem como o sentimento de culpa apòs efetuar o ato da compra. No entanto, se diferencia do TOC, visto que os oniomaníacos apresentam apenas o ritual de comprar, mas não os rituais de verificação, limpeza, simetria, superstição, dentre outros sintomas que caracterizam o TOC. No entanto, isto nao implica que a compulsão por compras não possa estar presente como comorbidade no Transtorno Obsessivo Compulsivo.

Questões psicológicas relacionadas à Oniomania.

Assim como em qualquer transtorno, existem questões subjacentes de cunho psicológico que são deflagradores preditivos de comportamentos de adicção os quais se configuram como mecanismos de defesa para lidar com a carência afetivo-emocional, a baixa autoestima, a necessidade de autoaceitação, de inclusão social e o vazio existencial que norteiam nossa atual sociedade hedonista, descartável e imediatista. É necessário rever os valores que direcionam nossa vida, para nos conscientizarmos do que de fato é importante para mantermos nossa tranquilidade e paz de espirito, apesar dos condicionamentos e apelos da mídia e do marketing.

Recursos de enfrentamento para lidar com a Oniomania:

 O primeiro passo para a cura é a auto aceitação. Procurar se auto perceber, se avaliar, se autoquestionar sobre suas reais necessidades. Neste caso, procurar compreender qual a função do comportamento de compra na vida do individuo, que vazio emocional está tentando preencher, quais conflitos existenciais está tentando anestesiar através da obtenção de objetos pessoais. Sendo assim, é necessário compreender o que existe por trás do desejo irracional por comprar, para que, a partir da ajuda de um psicólogo possam ser modelados novos comportamentos. Torna-se necessário que o individuo saiba administrar o que lhe proporciona prazer e bem estar, de modo que estes não se configurem posteriormente como uma dependência.

 Caso tenha se identificado com o artigo e acredite que necessite de ajuda profissional, uma ótima recomendação é a psicoterapia e as redes sociais de apoio. Neste caso, o grupo dos devedores anônimos (DA), cujo endereço eletrônico é disponível aqui pode trazer muitos benefícios para quem sofre de compulsão por compras: http://www.devedoresanonimos-sp.com.br/site

 Os Direitos Autorais no Brasil são regulamentados pela Lei Lei 9.610 . A violação desses direitos está prevista no artigo 184 do Código Penal. Este artigo pode ser publicado em outros sites, citando o autor, bem como a fonte.


Soraya Rodrigues de Aragao

Psicóloga, Psicotraumatologista, Expert em Medicina Psicossomática e Psicologia da Saúde. Escritora e palestrante. Autora do livro Fechamento de ciclo e renascimento.Sites: www.sorayapsicologa e www.alquimiadavida.org/livros

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *