Psicologia

10 conselhos que deveríamos receber em várias etapas da vida

1) Você têm um corpo. Poderá amá-lo ou odiá-lo, mas ele será seu durante toda a sua vida, logo o jeito que você o trata, será a maneira como ele responderá no futuro. O que fazemos hoje, nossos vícios, nossos exageros, irão refletir no futuro, eventualmente.

Nosso pulmão cansará da fumaça do cigarro, nosso fígado não aguentará o consumo de bebidas. O nosso organismo, em geral, irá cansar de fast foods, refrigerantes e ausência de bons alimentos.

2) A vida é um constante aprendizado, não permaneça intacto, deixe-se mudar, evoluir.

“Tem-se a impressão de que os homens elegeram deliberadamente seu habitual modo de viver porque o preferiram a qualquer outro. No entanto, pensam honestamente que não há opção, se bem que espíritos altivos e saudáveis dêem-se conta de que o sol nasce todas as manhãs e de que nunca é tarde demais para abrir mão de preconceitos. Afinal, nenhum modo de pensar ou agir, por mais consagrado que seja, pode merecer cega confiança. O que, hoje todos aceitam, louvando ou em silêncio, pode revelar-se amanhã como um equívoco, mera fumaça de opinião que alguns tomaram por nuvem.” – Walden, ou, A Vida nos Bosques – Henry David Thoreau

3) Não culpe-se por muito tempo por um erro, procure ver como um meio excelente de aprendizado. Os experimentos ‘mal sucedidos’ são parte do processo, assim como experimentos que, em última análise, funcionam. As coisas da vida, não devem funcionar perfeitamente, porque se funcionassem, talvez fosse um grande tédio. Não podemos ser perfeitos, não podemos saber de tudo, mas devemos buscar o melhor de uma forma tranquila.

“Adoramos a perfeição, porque não a podemos ter; repugna-la-íamos se a tivéssemos. O perfeito é o desumano porque o humano é imperfeito.” – Fernando Pessoa

4) Busque tudo o que você ama, exceto se estivermos falando de seres humanos. Muitas vezes a busca por alguém pode ser tão grande, que pode conduzir ao buraco. Opte por cuidar de quem você é, afinal, correr em busca de algo que foge, pode não ser a solução para dias melhores.

425948_375734015837622_1807739195_n_large

5) Aprender lições é uma tarefa sem fim. Não há nenhuma parte da vida que não contenha lições. Se você está vivo, há lições a serem aprendidas e ensinadas.

6) Vivemos em busca de algo, na espera de dias melhores, mas não percebemos que sempre teremos um futuro para imaginar ou um passado para acreditar ter sido melhor. Criamos a ilusão de que o passado era melhor porque não estamos nele, então, como não há como voltar, esperamos pelo futuro, que quando torna-se realidade não traz satisfação, logo voltamos ao ciclo de sonhar com um futuro melhor e pensar no passado.

Talvez, seja exatamente aí que mora um dos nossos maiores erros.

7) Muitas vezes você ama ou odeia alguma coisa em outra pessoa, porque ela reflete algo que você ama ou detesta em você mesmo. Mas será que você percebe?

8) Eis aqui a ilusão da necessidade de dar satisfações. Nos preocupamos muito com a opinião alheia, mesmo daqueles que pouco vão interferir em nossas vidas. A escolha está somente em nossas mãos, logo o problema é inteiramente nosso.

“O homem não é nada mais do que aquilo que faz a si próprio.” – Jean-Paul Sartre

9) Muitas são as vezes em que todas as respostas para as questões da vida estão dentro de você, mas você evita ver. É necessário escutar a voz mais forte, porque no fundo, sempre conhecemos aquilo que realmente queremos.

10) Você se esquecerá de tudo isso… e ainda assim, de certa forma, lembrará. Seja em uma conversa de bar ou em uma angustia de matar.

“Mas só há um mundo. A felicidade e o absurdo são dois filhos da mesma terra. São inseparáveis. O erro seria dizer que a felicidade nasce forçosamente da descoberta absurda. Acontece também que o sentimento do absurdo nasça da felicidade. – Acho que tudo está bem-, diz Édipo e essa frase é sagrada. Ressoa no universo altivo e limitado do homem. Ensina que nem tudo está perdido, que nem tudo foi esgotado. Expulsa deste mundo um deus que nele entrara com a insatisfação e o gosto das dores Inúteis. Faz do destino uma questão do homem, que deve ser tratado entre homens. Toda a alegria silenciosa de Sísifo aqui reside. O seu destino pertence-lhe.” – Albert Camus


Isadora Tabordes

Fundadora dos sites Vida em Equilíbrio e Demasiado Humano. Graduada em Filosofia pela Universidade Federal de Pelotas. Atualmente é mestranda em Filosofia Moral e Política pela mesma universidade, trabalhando questões sobre o conceito de liberdade com ênfase no idealismo alemão.  Isadora também está presente no Youtube através do seu canal Relatos de Motocicleta.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *